A primeira parte do Kokyu-Hō

06

Muitos anos atrás eu comecei a praticar com um monge a unificação com uma força maior. Como essa era a minha busca, mesmo depois e sozinho, eu continuei  a procurar uma maneira de me unificar com Deus. Quando incorporei essa prática ao Aikido o treinamento passou a buscar a unificação com a força do universo.

Aikido é um caminho que não tem a ver com derrubar ou destruir outras pessoas, pelo contrário, Aikido é uma técnica corporal em que recebemos a força do outro, purificamos ao acolhermos dentro de nós e a devolvemos de volta para o outro. Mesmo sendo considerado uma arte marcial o Aikido guarda em sua essência a intenção de construir a vida das pessoas e não destruí-la. Para conseguirmos isso nós praticamos o Misogi, a purificação da alma e do corpo. Nas passagens do treino de Kokyu-Hō em que eu falo sobre purificar o corpo eu na verdade estou me referindo ao Misogi. Mas purificar é apenas uma parte do Misogi, que é um sistema que veio do Xintoísmo.

Quando transmitimos os ensinamentos do Aikido não nos concentramos nos ideogramas das palavras japonesas. Eu sempre uso a palavra Musubi, que é juntar, amarrar, o kanji dessa palavra significa isso. Porém se fossemos escrever um livro em japonês o melhor seria escrever em Hiragana, porque o significado que dou para esta palavra é muito maior. O sentimento é maior do que o significado da palavra que este kanji representa. Se colocarmos o kanji de Musubi para explicarmos o nosso treinamento para as pessoas, o próprio kanji irá passar uma ideia diferente. Se o significado não for atrelado ao kanji seu significa será maior.

No Dojo há um altar e nesse altar existe uma entidade. Nós oramos com Kokyu e assim convidamos a entidade para perto de nós. Na hora em que expiramos, transferimos nossa essência para junto dessa entidade. Isso é uma parte do Musubi. Antigamente eu procurava a unificação com Deus, agora buscamos a unidade com o Universo, a força que formou este planeta e que trouxe a vida para a Terra. Quando quero falar da vibração do mundo eu uso a palavra em inglês, pronunciando vibration, porque o som é melhor. Chuva, água, vento, fogo, raio de sol, relâmpago, estes elementos são a vibração do universo. Estamos treinando para que possamos nos unificar aos fenômenos da natureza. Estes fenômenos podem até ser destrutivos mas são uma parte da vibração da Terra. Recebemos esta força no corpo e com ela realizamos os movimentos de Kokyu-Hō. Para quem não conhece e vê de fora pode até parecer um movimento dos braços virando ao redor do corpo, mas não são os braços, alguma coisa faz este movimento enquanto os braços apenas acompanham. Esta é a essência do Kokyu-Hō.

O movimento denominado Ibuki acontece quando inspiramos concentrando a energia do espaço e a levamos até a barriga, como se a estivéssemos engolindo. Esta energia circula por dentro da barriga e sai junto com a expiração passando em frente o peito até a ponta dos dedos.

No Kokyu-Hō nos unificamos com a força da Terra. Acompanhamos seu movimento saindo do chão e a conduzimos em direção ao céu. Esta força vibra nas mãos enquanto giramos os braços acima da cabeça. Por falta de uma denominação melhor dizemos que estamos navegando por essa energia. Navegamos por alguns segundos e depois disso mudamos nosso corpo para entrar em sintonia com uma alta dimensão. Nós vivemos na terceira dimensão, depois disso vem a quarta, quinta, sexta, sétima, oitava, nona e a alta dimensão, acima desta existe ainda uma super dimensão onde encontra-se a força que criou este planeta. Na alta dimensão está a imagem de Jesus e do Buda. E nós levamos nossa mente e nosso corpo para nos unificarmos com esta alta dimensão. Quando giramos nossos braços acima da cabeça no momento em que digo que estamos navegando pela energia do centro da Terra, com o corpo parado e estimulando a região axilar para que os braços se movimentem em uma amplitude maior,  é comprovado cientificamente que começa a faltar oxigênio na cabeça e então começamos a sentir algo no cérebro parecido com uma tontura e entramos em uma espécie de transe. Quando um médium se prepara para receber uma entidade também entra em transe. Neste momento perdemos um pouco o controle da nossa mente, recebemos a força da alta dimensão e a colocamos no nosso corpo. Neste momento ocorre a  unificação com a imagem de Deus ou com uma força maior que recebemos no corpo. Então, nesse momento o corpo se modifica com o AIki. O que acontece quando alguém me segura é que eu conduzo a energia para cima e a pessoa não consegue segurar este fluxo de energia porque é uma coisa que não se vê. Quando conduzimos uma pessoa através desta energia estamos fazendo um movimento de Aiki. E esta força juntamente com o movimento de corpo é o que chamamos de Aikido. Aikido é o caminho do Aiki. Quando as pessoas treinam Dai Ichi kyo, Nikkyo, Sankyo esse treino é Aikijujutsu, um treino físico mas sem Aiki. Aikidoísta é aquele que tem seu corpo modificado pela prática do Kokyu-Hō e utiliza da força do Aiki para fazer seus movimentos. Nós precisamos treinar o Kata e além disso precisamos nos purificar e nos forçar a adquirir este conhecimento que a humanidade alcançou. Se procuramos por isso, depois de muita prática, essa força é que passa a comandar nosso movimento. Todos tem a capacidade de chegar até este ponto.

A força sagrada que brota do centro da Terra é o que chamamos de Magma. Nós a sentimos como um calor ou uma forma gasosa que sobe através dos nossos pés e se transfere para o movimento. Nosso corpo precisa estar relaxado mas não mole para que a força do Magma possa atuar, nos movimentando sem que façamos a mínima força. Dentro desse movimento está o significado das religiões. Por isso as pessoas ficam fortes, internamente forte. Espiritualmente ficamos fortes. Não é um movimento muscular. E essa força que se aloja dentro de nós naturalmente sai. Essa força circula pelo nosso corpo. Durante o exercício nós deixamos o corpo virar porque dessa forma o ar naturalmente entra sem que forcemos a inspiração e sem ficarmos duros. Assim a sola do pé também começa a virar. Imaginamos o centro da Terra, a energia que se transforma em Magma entrando pela sola do pé e subindo por dentro do nosso corpo. A energia sai então pela palma das mãos. A energia do centro da terra girando no Magma sai na palma das mãos. No exercício, a força da respiração nasce e cresce sozinha. A força da respiração nasce no movimento.

Não são todas as pessoas que treinando comigo irão sentir o fluxo de energia. Porque eu não estou fazendo nada com elas. É a própria força da pessoa que a faz ficar desequilibrada. Quando eu ofereço a minha mão e o parceiro a segura eu só me mantenho respirando e é o próprio corpo da pessoa que puxa minha mão para cima. As pessoas que não sentem nada também são aquelas que são facilmente levadas pelo destino. As pessoas que estão treinando sentem com mais facilidade. Quando eu entrego a minha mão para o parceiro segurar eu não estou tentando levá-lo, eu mudo a direção da energia que está circulando entre nós como o vento que carrega uma folha. E a pessoa mesmo entra no movimento.

Se você escutar o que eu estou falando, depois de algum tempo seu modo de treinar vai ficar diferente. Nós funcionamos assim, as informações que nos chegam são distribuídas pelo corpo através do que o cérebro registrou. A questão é trabalharmos para que o entendimento não fique apenas na atividade muscular, mas no corpo inteiro.

Existem pessoas que chegam eventualmente e depois de assistirem uma aula comigo ficam repetindo nos treinos de Aikido: – Bola, Bola, mas isso fica só nas palavras. A Bola de Energia só se forma quando o corpo já esta acostumado. O costume de treinar Kokyu-Hō e formar Aiki é plantado no corpo. A energia cresce conforme treinamos para isso. Temos que nos purificar porque podemos ter alguns bloqueios que podem impedir a força de entrar em nós. Quem constrói essa força é o nosso caminho. A primeira coisa que o treino de Kokyu-Hō trabalha é a purificação.

Bola é a denominação de algo redondo e o centro dela nunca muda, mas o ponto da bola em que o peso atua muda conforme sua posição. A gente sempre forma uma bola com a energia que puxamos do chão. Se colocarmos a mão aberta sobre a superfície da água dentro de um balde e delicadamente pressionarmos, sentimos a pressão que a água exerce sobre a nossa mão e até mesmo conseguimos abaixar um pouco a superfície da água. Mas se fizermos a mesma coisa com muita força a mão afunda. É com essa sensação nas palmas das mãos que nós puxamos a energia da Terra. Nós formamos sempre uma Bola de Energia, nunca um circulo. Essa é a primeira parte do Kokyu-Hō.

Advertisements

One comment

  1. Bem, espero q a msg chegue…
    É linda a sensibilidade de expressar a tênue e invisivel arte do aikido! Obrigada por compartilhar! Outro dia no seminario você me disse q somos colegas, eu nao consegui te falar na hora e ficou meio estranho… É q te considero muito mais, um sensei! E tenho profunda admiracao pelo ser q é.

Lezel ur respont

Fill in your details below or click an icon to log in:

Logo WordPress.com

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont WordPress.com Log Out /  Kemmañ )

Google+ photo

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Google+ Log Out /  Kemmañ )

Skeudenn Twitter

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Twitter Log Out /  Kemmañ )

Luc'hskeudenn Facebook

Emaoc'h oc'h ober un evezhiadenn gant ho kont Facebook Log Out /  Kemmañ )

War gevreañ ouzh %s